ETA

Amor é uma necessidade que compadece de dizer eu te amo, e que vem das entranhas do momento, no sopro dessas palavras, quando se desarma da continuidade que se pretende ter, mas  não se confessa a pretensão, porque  o amor  já é delator. Aquela  saudade pré sentida, aguda, cortante que se instala logo do depois do som...do eco do dito. Dito entre as singulares afirmações, verdadeiras  entre si. ETA

Um comentário:

Anônimo disse...

e será que tenho moral para concordar?
rs....

©2010 Danny Montenegro Por Escrito em Nanquim